quarta-feira, 12 de outubro de 2011

O nosso trabalho não é vão
Texto de
Ana Márcia Britto - www.shofarmusic.com.br



Ora, o que planta e o que rega são um e cada um receberá o seu galardão, segundo o seu próprio trabalho” (I Co 3:8).


No Reino de Deus cada um recebe da mesma porção, segundo a própria capacidade, para trabalhar conforme as próprias forças (Eclesiastes 9:10). Ou plantando, ou regando ou colhendo, todos exercemos os nossos trabalhos, cada um na sua área ou atividade. A técnica que cada um usa para produzir no seu trabalho é que vai determinar o produto final.
Em síntese, todos produzimos, pouco ou muito, e recebemos o nosso galardão segundo o que trabalhamos. Mas, mesmo sabendo disso, há muitas pessoas que trabalham pouco e querem receber o mesmo galardão dos que trabalham muito, e nunca assumem que precisam se esforçar mais para ter a sua porção aumentada.

Também existem aquelas pessoas que vivem anunciando o que fazem, mas não se esforçam muito, só querem status. Estes precisam saber que agradar a homens não traz o galardão, mas, agradar a Deus, sim.
Geralmente quem vive reclamando que “nunca dá, nunca pode, nunca tem”, também nunca prospera, pois é incapaz de investir em terreno fértil. Não consegue se esforçar para ser melhor, se acomoda com o que tem. Deus manda esses aprenderem com as formigas (Provérbios 6:6).

E há pessoas que trabalham muito mas ninguém vê, pois não ficam anunciando o que fazem. Fazem porque amam. Precisamos aprender com essas pessoas, pois o que fazemos para Deus tem que ser com alegria e não com pesar. O nosso trabalho na obra de Deus não é vão: “Portanto, meus amados irmãos, sede firmes, inabaláveis e sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que, no Senhor, o vosso trabalho não é vão” (I Co 15:58).

Para que se possamos trabalhar com sucesso para o Senhor, precisamos ser:
1º firmes – sabermos o que se quer, termos convicção do chamado;
2º inabaláveis
– estarmos seguros nas promessas de Deus, não vacilarmos os pés;
3º abundantes
– prosperarmos em tudo que fizermos, termos a fartura do Senhor, pois nada nos faltará.
Deus conhece o seu esforço, Ele conhece o que se passa nos seus pensamentos e sonda o seu coração. Ainda que você trabalhe achando que nunca irá ter resposta, por não estar vendo o fruto, creia que a semente germinou e que o seu trabalho não é vão. O Senhor cuida de nós e é nEle que precisamos estar firmados. Nós precisamos ter fé, e essa fé tem que ser alimentada pela leitura da Palavra. Precisamos ser fortes e não desistir, pois Deus tem reservado para nós sempre o melhor (II Cr 15:7).

Deus lhe ama e tem o melhor para você, creia em Suas promessas, tenha fé e confesse a sua vitória, pois você já é um vencedor e a obra das suas mãos terá recompensa. Continue plantando, regando e semeando, o seu galardão está guardado, ele é seu, tome posse de todas as bênçãos de Deus, receba!

 

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

SOMOS UM EM CRISTO!


Vindo para o trabalho hoje pela manha presenciei uma batida entre um carro e um motociclista. Graças a Deus ninguém se machucou mas o curioso foi observar a quantidade de outros motociclistas que pararam ( logo parando todo o transito) para: 1- realmente socorrer aquele que estava no chão; 2- apenas observar, fazer comentários sem sentidos; 3- Não fazer nada!
Todos nós um dia fomos chamados para sair do reino das trevas e vivermos no Reino da Luz. Ganhamos o direito( sem ao menos sermos merecedores disso!) através de Jesus Cristo, de sermos chamados filhos de Deus. Fomos chamados para sermos santos, assim como nosso Pai Celestial é. Acontece que durante nossa caminhada rumo à santidade, nem sempre conseguimos permanecer focados no alvo(Cristo) e algumas vezes, ou muitas vezes, nos desviamos do caminho correto. 

“Se dissermos que não temos pecado nenhum, a nós mesmos nos enganamos, e a verdade não está em nós” (1 João 1:8). 

Por imaturidade espiritual, meninice, falta de fé, falta de perseverança em seguir a Cristo, já caí em pecado algumas vezes. E eu quero destacar algumas atitudes que são facilmente observadas quando vemos algum irmão em Cristo caído em pecado. Assim como os motociclistas, muitos se aglomeram. Uns culpam o fator externo ( o carro, ou o pecado). Começam a dizer que a pessoa foi seduzida pelo inimigo e colocam a culpa no diabo! Outros dizem que a culpa foi do motociclista( do crente). Ele deveria estar mais atento, mais focado ou lhe faltou prudência. Muitos não falam nada, pois estão preocupados com suas próprias vidas. 

“Acima de tudo, porém, tende amor intenso uns para com os outros, porque o amor cobre multidão de pecados” (1 Pedro 4:8). 

O fato é: Alguém caiu! E esse alguém precisa ser levantado. Dependendo da queda, não é simples levantar sozinho. ELE PRECISA DE AJUDA! Mesmo quando nós não somos pessoalmente prejudicados pelo pecado do outro, ainda devemos amar de uma maneira que ajuda aquela pessoa alcançar o perdão dos seus pecados. Tiago explicou bem o nosso papel em ajudar o irmão que cai no pecado: “Meus irmãos, se algum entre vós se desviar da verdade, e alguém o converter, sabei que aquele que converte o pecador do seu caminho errado salvará da morte a alma dele e cobrirá multidão de pecados” (Tiago 5:19-20).
1Co 10:12 Aquele, pois, que pensa estar em pé, cuida para que não caia. 

Devemos agir com os outros, da mesma maneira que gostaríamos que agissem conosco. Estender a mão ao caído, não significa ser conivente com o pecado dele. Significa fazer o cristo faria. Jesus não julgaria, não condenaria, não viraria as costas, não falaria mal. O amor Dele constrangeria, levaria ao arrependimento. Se Jesus não faria essa coisas, o que nos leva a pensar que podemos fazê-las? 

Shalom!






Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...