sexta-feira, 20 de maio de 2011

Limpinhos por fora, sujinhos por dentro.

“Pois são semelhantes aos sepulcros caiados, que por fora realmente parecem formosos, mas interiormente estão cheios de ossos mortos e de toda a imundícia”. (Mateus 23:7)

Ultimamente tenho pensado muito nesse versículo. Tenho orado e pedido muito a Deus para não ser como um sepulcro caiado. Mas o que é ser isso? O que Jesus quis dizer quando ele chamou os escribas e fariseus de sepulcros caiados? Os sepulcros nos tempos bíblicos eram monumentos em homenagem ao morto. Eles eram então "caiados", ou seja, pintados de branco (cal). Isso acontecia para que fossem vistos de longe e evitasse a contaminação ritual que acontecia ao entrar em contacto com alguma coisa morta. Por fora estavam sempre muito branquinhos, mas por dentro só havia morte, sujeira, podridão.

Naquela época (e não muito diferente dos dias atuais) as pessoas tinham uma terrível “mania” de apontar o dedo para os outros, apontar as falhas, julgar os erros, expor, maldizer, se achar superior e coisas assim, mas raramente ou quase nunca vigiavam a sua própria vida. Por fora, eram sérios, maduros, corretos, mas por dentro estavam podres, cheios de religiosidade, sem amor no coração e pensamentos ruins. Queriam e faziam questão de serem melhores que os outros.

Jesus condenou e condena isso até hoje. Ele vê o nosso interior, vê o nosso coração, sonda os nossos pensamentos. Sabe quando usamos máscaras ou quando nos apresentamos de “cara lavada”, exatamente como somos diante Dele. Não podemos sem hipócritas como eram os fariseus. Não podemos viver de aparências, nem dentro nem fora da casa do Senhor! Como é triste saber que muitos casamentos são apenas fachadas, que muitos pais tratam seus filhos bem só quando estão na frente de alguma pessoa conhecida, que muitas pessoas pregam e exigem aquilo que não vivem.

Já julguei muito, já acusei muito, já falei de muito irmão dentro da igreja, já fiz muitos “comentários edificantes” a respeito de muita gente. Até que um dia Jesus me colocou na frente do espelho e eu vi que estava branquinha, branquinha... (e nem era do perdão dos meus pecados). EU VIVIA NO ENGANO! Como poderia falar de alguém? E ainda que não vivesse! Ainda que eu fosse a mais santa, a mais correta, não teria esse direito. Jesus não fez isso. Ele não nos julga, não nos acusa, não coloca o dedo no nosso rosto. Ele nos ama. Ele quer tirar todo o engano, todo o cal. Jesus quer e pode fazer ressuscitar tudo aquilo que está morto na nossa vida e que nós mascaramos para parecer diante de outras pessoas que está tudo bem!

Eu tive o privilégio de pedir perdão certa vez para uma irmã da igreja. Aquilo me libertou! Me emociono só de pensar. Não quero ser sepulcro caiado. Não quero nada morto em mim! Se o sangue de Jesus me trouxe vida, quero viver essa vida! Chega de cheiro de morte nas nossas vidas! Chega de velas, de caixões, de coroas de flores! Vamos assumir os nossos limites, as nossas falhas, as nossas fraquezas assim não seremos mais julgadores um dos outros, hipócritas. Vamos redescobrir quem somos, pois o que somos e quem somos está em Jesus!

Ele quer nos fazer vasos de honra! Moldados por Ele.

João 8:7 Mas, como insistissem em perguntar-lhe, ergueu-se e disse- lhes: Aquele dentre vós que está sem pecado seja o primeiro que lhe atire uma pedra.

Um comentário:

FLAVIA TAVARES disse...

Friends, que benção! Se todos aqueles que dizem viver a Palavra, realmente buscassem ser puros de coração, não teríamos sepulcros caiados no nosso meio...
Te amo!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...